Ainda sobre militância

Nasci branca, economicamente privilegiada, mulher. Durante muito tempo, não entendi o que isso significava. Eu não entendia que eu era oprimida pelo simples fato de ser mulher. Não entendia que as oportunidades que eu tinha vinham do lugar que automaticamente ocupei no momento em que eu cheguei no mundo. Não entendia que a minha cor…Read more »

O temido puerpério

Quando fiquei grávida, me senti tão, mas tão estranha, que tive medo de ter depressão. Ou um ataque, sei lá. O peso de uma gravidez por meios não convencionais me atingiu em cheio – há quem não sinta essa carga; eu, por toda a minha história, senti. Tive um desconforto perene, como se estivesse fazendo…Read more »

Vamos pra casa?

Os dias na maternidade costumam ser um porto seguro para as recém paridas. Felizmente, tivemos a possibilidade de escolher um quarto maior, não pensando em visitas, porque, como eu expliquei antes, desejávamos certa reclusão. Quando um bebê nasce, é um rito apresentá-lo à sociedade como um trunfo. A gente pensa diferente. Antonia é nosso tesouro…Read more »

Duas mães e uma filha

Antonia saiu de mim, mas não de perto de mim. Como fizemos parto normal, ela foi examinada no ambiente em que estávamos. Volta e meia eu pergunto pra Inês a ordem dos fatos, porque não me lembro com exatidão, nem mesmo do momento em que nossa filha foi colocada nos meus braços ou quando tentou…Read more »

A mulher grávida

  “Aproveita, você vai sentir saudade da barriga”. Foram inúmeras as vezes eu ouvi esse “conselho” das que já tinham atravessado a linha para maternidade, enquanto eu esperava minha filha. Amigas, conhecidas, mesmo quem eu nunca tinha visto na vida, naquelas conversas fora de banheiro, tentavam me alertar, sobretudo quando eu tecia uma reclamação costumeira.…Read more »